terça-feira, 29 de junho de 2010

SANTIAGO, CHILE.

Nossa viagem foi assim:


Época: julho ****
Hotel: Eurotel ****; Diego de Velazquez**; Crowne Plaza****
Faixa etária das crianças: 3-5 anos***; 5-7 anos****


Estivemos em Santiago, no Chile, quatro vezes, sempre nas férias de julho, de passagem para outros locais do país. É o suficiente para perceberem o quanto gostamos do Chile em geral, e de Santiago, em particular. Se você for visitar qualquer uma das maravilhosas atrações do Chile, ao norte ou ao sul, não deixe de ficar uns dois ou três dias na capital. É uma cidade limpa, segura (pelo menos nas zonas turísticas), moderna e divertida para as crianças.

Santiago com neve

Apesar do tempo frio, Santiago no inverno tem uma vantagem incontestável: montanhas nevadas. Claro que muitos turistas em Santiago estão, na verdade, a caminho de uma estada nas montanhas de Valle Nevado. Se você gosta de esqui, é uma ótima opção. Evite, contudo, fazer o famoso bate-e-volta em Valle Nevado. O traslado é longo, sinuoso e cansativo. Entre você chegar à estação, escolher uma loja de aluguel, escolher o equipamento, experimentar, pagar, contratar um professor, e finalmente chegar às pistas, perderá pelo menos metade de seu dia. Simplesmente não vale a pena. Fique num hotel em Valle Nevado por alguns dias e curtirá a neve muito melhor. As demais estações de esqui que ficam próximas de Valle Nevado (Colorado, Farellones) têm neve excelente, mas com infra-estrutura precária e atendimento amador. Valle Nevado é mais longe e mais cara, mas com certeza vale mais a pena.

Outra vantagem da neve nas montanhas é a vista. E que vista! Suba ao Cerro San Cristóbal em um dia claro, e verá uma das vistas urbanas mais bonitas do mundo - a cidade se desenrolando em ondas até o pé da cordilheira, que se ergue imponente salpicada de neve branca ao fundo. Além da vista, o Cerro tem muitas outras atrações para as crianças, pois trata-se do maior parque de Santiago, encarapitado sobre um monte arredondado e arborizado.

Para chegar ao cume, o funicular é um meio de transporte bem divertido para subir a partir do bairro Bellavista. O funicular faz uma parada no Zoológico, mas não chegamos a visitá-lo. Aviso: evite esse passeio aos finais de semana, especialmente domingo, pois a fila do funicular é interminável! Chegando ao topo, você estará no coração do parque propriamente dito. Há mirantes, lanchonetes, uma boa infra-estrutura. Se tiver interesse, dê um pulinho na estátua da Virgem Maria que fica lá em cima. O curioso é que essa estátua é tão grande que pode ser vista de diferentes lugares da cidade de Santiago à noite. De lá do topo, após uma curta caminhada, pode-se pegar o teleférico que cruza para o outro lado do parque, descendo até as proximidades do bairro da Providencia. A vista do teleférico é facilmente uma das mais bonitas de Santiago, principalmente ao pôr-do-sol. Descendo do teleférico, você chega até a saída do parque e de lá, em cerca de 15 minutos de caminhada, até o coração da Providencia, onde se pode pegar o metrô para qualquer lugar da cidade.

Os melhores bairros da cidade

Providencia, por sinal, é um dos bairros mais legais para se hospedar em Santiago. Alguns dos hotéis podem ser caros, mas também há opções mais em conta e de boa qualidade, como o Eurotel. Há muitos restaurantes próximos, sorveterias com mesas na calçada, lojas de departamento, bares... Tudo isso faz da Providencia um lugar ótimo para ficar ou passear.

Outro bairro interessante, um pouco mais alternativo, é Bellavista. Tem restaurantes menores e mais pitorescos, lojas de artesanato e é mais frequentada por santiaguinos do que Providencia. Tem um certo ar de Vila Madalena, e a melhor maneira de explorá-lo é perder-se por suas ruas. Um dos pontos mais frequentados do bairro é o Patio Bellavista, uma galeria de lojas a céu aberto. Bem perto dali fica a casa do Pablo Neruda e o ponto de partida do funicular, aos pés do Cerro San Cristóbal.

Compras e vinhos


Patio Bellavista, um centro comercial a céu aberto, muito charmoso e simpático, é um dos lugares onde se pode comprar artesanato e vinhos. Nas ruas ao redor, estão escondidos restaurantes e lojinhas. O agito por aqui só começa mais tarde, então nem pense em chegar ao bairro antes do almoço.

Se você é um comprador nato, não perca o shopping Parque Arauco. Além de ter centenas lojas bem legais, com preços excelentes (particularmente em roupas) para os brasileiros, tem uma área externa com jardins, fontes, restaurantes se debruçando sobre o pátio aberto. Um ambiente animado e gostoso para fazer compras, almoçar e passear. Tem até o infalível point de games pras crianças, próximo à praça de alimentação.

Não podemos falar em Santiago sem mencionar as vinícolas. Informe-se antes de ir visitá-las, pois muitas foram afetadas pelo recente terremoto. Em todas as vinícolas, ao contrário do que acontece nos EUA, as crianças são bem vindas, desde que não bebam, é claro! A mais óbvia, que todo mundo pensa primeiro, é a Concha y Toro. É uma visita que vale a pena, pois a vinícola é impecável. Além disso, a sensação de estar numa cave, rodeado de barris de Don Melchor por todos os lados, é insubstituível... O único problema é que é um pouco longe, trabalhoso para ir de metrô, e o táxi ou tour privado podem sair bem caros.

A outra vinícola que fica dentro dos limites da cidade é a Cousiño Macul. É considerada uma das mais antigas do Chile, e o local é bem pitoresco. Uma cave subterrânea guarda barris e mais barris de vinhos, e milhares de garrafas antigas e empoeiradas que compõem a coleção da família. É bem menor que a Concha y Toro, mas muito charmosa e diferente. Os entendidos dizem que é parecida com as antigas vinícolas da França. Para chegar ou sair de lá, a melhor opção é o táxi, pois é mais perto do que a Concha y Toro, mas mesmo assim não vai sair barato.

O outro passeio de vinhos que fizemos no Chile foi ao vale do Colchagua. Optamos pelo Tren del Vino, mas atualmente ele está fora de funcionamento. Esperamos que volte logo, pois é sucesso certeiro entre as crianças! Afinal, qual criança não gosta de andar numa maria-fumaça antiga, a 40km/h, onde até o interior é original? E, para os adultos, a diversão estava nas bandejinhas de queijos diferentes e deliciosos, e carrinhos repletos de garrafas de vinho da região, para escolher e saborear à vontade... Mas como o trem está fora de circulação, resta o tour de ônibus pelas vinícolas. Para saber a situação das vinícolas após o terremoto, visite este link.

Nomes famosos como Errazuriz e Casa Silva fazem parte das opções de vinícolas. Veja os detalhes e as opções de tours visitando o site da Ruta del Vino. Se você quiser divertir adultos e crianças igualmente, opte pela Viña Santa Cruz. Uma vinícola linda, com campos bem cultivados e um vinho razoável, onde você irá saborear um almoço delicioso no topo de uma colina, com vistas de 360 graus para os vinhedos. Depois, pode-se fazer um passeio de teleférico até a parte mais alta, onde há uma réplica de casa mapuche (sem graça) e um observatório astronômico. A visita à vinícola propriamente dita não guarda nenhuma surpresa, mas também não decepciona. Se, por outro lado, você for um aficionado por vinhos, no Colchagua não faltam vinícolas mundialmente famosas, todas à espera da sua visita!

Centollas e outros frutos do Pacífico

A outra vantagem do inverno é que é época de centolla, o caranguejo gigante. Na verdade, gigante mesmo é a fêmea, centolla, e não o macho, centollón, menor e mais sem graça. Na hora de pedir, preste atenção para não errar! Para saboreá-la, você pode optar entre a atmosfera aconchegante do Aquí Está Coco, na Providencia, ou o despojamento dos restaurantes do Mercado Central. No mercado, optamos pelo Donde Augusto, mas muitos dizem que os restaurantes em volta do Mercado são igualmente bons e mais baratos. Além disso, dar uma volta no mercado e ver criaturas únicas saídas das águas profundas do Pacífico é uma experiência diferente. O Azul Profundo é outra ótima opção de restaurante no bairro Bellavista, com um ambiente "marinheiro" bem diferente e divertido. Em todos esses locais, além da centolla, não deixe de provar os moluscos, como as machas e outros bivalves, e os peixes, que são muito saborosos.

Para as crianças que não comem frutos do mar, sempre há no menu dos restaurantes uma opção mais simples, como peixe ou frango grelhado. Para os que não são tão chegados a frutos do mar, um restaurante que serve ótimas carnes a um preço justo é o Eladio, na Providencia. Na cobertura do mesmo prédio funciona o Giratorio, um restaurante com vista panorâmica que gira lentamente. A comida não é grande coisa, mas as crianças vão adorar ver o restaurante girar! A vista também é imperdível, principalmente à noite.

Aproveitando que está na Providencia, não deixe de tomar um sorvete ou um dos cafés especiais da Coppelia. Se seus filhos gostam, tenha certeza de que não vai passar um dia sequer sem conseguir fazer uma visitinha a essa deliciosa e charmosa sorveteria!

Então, na sua próxima viagem, pense Chile. Santiago está a poucas horas de vôo das capitais brasileiras, e é uma cidade que agrada adultos e crianças igualmente.

Veja o mapa da região: