quarta-feira, 13 de agosto de 2014

VIENA: ONDE OS CONTOS DE FADAS SÃO REAIS.

Nossa viagem foi assim:
Época: julho****
Hotel: Hollmann Belletage*****
Faixa etária das crianças: 10-12****

Como fomos parar em Viena?

Conhecer Praga, na República Tcheca, sempre esteve entre os sonhos de nossa família, pois já tínhamos ouvido falar que é uma das mais lindas e bem preservadas cidades da Europa. Pesquisando, vimos que cerca de 5 dias seriam suficientes para conhecer as principais atrações de Praga, então saímos em busca de uma segunda cidade para preencher mais uns 4 a 5 dias de viagem. Entre as capitais próximas de Praga que atraíram nossa atenção, Viena se destacou pela beleza e pela variedade de atrações, muitas delas bem adequadas até às crianças pequenas!

Estufa e jardins do Palácio de Schönbrunn

Quer você já conheça outros lugares da Europa, quer não, Viena e Praga são cidades fascinantes, com linda arquitetura, seguras e deliciosas para se caminhar e "se perder". E, muito além dos museus e igrejas que coalham todo o continente europeu, as duas cidades em conjunto têm um diferencial muito importante: a história. Praga tem um dos castelos mais acessíveis da Europa, bem pertinho do coração da cidade, encarapitado no alto de uma colina e com belezas dignas de "Game of Thrones". E Viena foi, durante séculos, a capital do Império Austro-Húngaro, e guarda até hoje palácios e museus com tesouros pertencentes às mais belas e fascinantes princesas e reis que já caminharam sobre o continente europeu (sério, não estamos exagerando).

Viena em particular é uma cidade com atrações muito variadas onde você pode ficar uma semana, fácil, fácil. Em 5 dias vimos muitas das principais atrações, mas ficou um gostinho de "quero mais" - uma boa desculpa para voltarmos lá no futuro.

Para aproveitar ainda mais a viagem, um pouco de preparo prévio será bem-vindo e muito prazeroso também! Assista aos filmes Sissi e Amadeus, ouça um pouco de Mozart, Beethoven e Strauss (até Baby Mozart vale!) antes de ir para lá. Vai enriquecer muito sua experiência.

Viena, como a maioria das cidades europeias, é um lugar para se conhecer a pé. Aluguel de carro, nem pensar! Se as distâncias a serem cobertas forem menores do que 1 ou 2 km e a família tiver boa disposição para caminhar, essa sem dúvida é a melhor opção. Cada ruazinha da cidade tem belezas e charme de sobra, e você ainda pode acabar descobrindo uma igreja que não esperava ou um beco com uma lojinha diferente. A cidade está repleta de lugarzinhos e pequenos comércios esperando para serem descobertos!

Caminhando a esmo pela cidade descobrimos
lugares charmosos como este beco...

...e uma das lojinhas mais charmosas que vimos na cidade!

Para identificar melhor as atrações e lugares de interesse histórico, eles são sinalizados através de uma placa com bandeiras como esta aqui:


Isso facilita encontrar as atrações turísticas, e também a identificar um lugar que pode não estar no seu guia, mas ser interessante mesmo assim!

Dicas práticas

Em nossa opinião, Viena é uma cidade excelente para levar crianças de qualquer idade, mas particularmente interessante para as que têm 5 anos ou mais, e ainda mais para as meninas e para aquelas crianças que se interessam por música clássica. A arquitetura e os museus não ficam devendo nada a grandes capitais da Europa, mas o diferencial aqui são as atrações "imperiais" (= príncipes e princesas) e a quantidade de compositores que moraram ou nasceram na cidade (Mozart, Beethoven, Strauss, só para citar alguns).

Como sempre, quando visitamos cidades maiores, com boa estrutura, transporte decente, e atrações espalhadas pelos 4 cantos, começamos o planejamento pela hospedagem. No caso de Viena, optamos por ficar num hotelzinho localizado a uns 3 quarteirões da Catedral St Stephan, que é o epicentro das atrações turísticas na cidade. Para chegar às principais atrações e à estação de metrô precisávamos andar um pouquinho (não mais do que 10 minutos), mas para nós a economia com a diária de hotel compensou.

Se você gostar de luxo e não se importar em gastar bastante, pode ficar hospedado na principal rua de pedestres e de comércio de Viena, a Kartner Strasse, que tem os hotéis mais tradicionais e luxuosos, de onde você vai acessar as principais atrações com muita facilidade.
A região da confluência das ruas Kärtner e Graben,
exclusivas para pedestres.

O sistema de metrô é muito eficiente e leva você a todos os pontos de interesse da cidade. O curioso é que o metrô de Viena não tem catracas. O acesso às estações é totalmente livre, na entrada há apenas uma máquina para você validar seu ticket antes de entrar. Como o povo austríaco, com sua cultura germânica, é muito honesto, não é preciso ter barreiras físicas para que as pessoas não andem de metrô sem pagar. Nós achamos que não valia a pena comprar um passe, pois os únicos lugares que visitamos e que era imprescindível pegar metrô eram o Palácio de Schönbrun e o parque de diversões Prater. Por isso compramos bilhetes avulsos (10 unidades com um pequeno desconto).

O restante das atrações fica, em sua maioria, no interior de um círculo formado pelas ruas Schottenring, Burgring, Opernring, Parkring e Stubering. Para ir de uma extremidade a outra do "Ring" formado por essas ruas, é mais prático e mais divertido pegar o bonde, que dá a volta completa nesse "anel" que circunda o centro turístico. Se preferir caminhar, pode-se atravessar o centro tranquilamente em cerca de 30 minutos a pé.

O bonde é opção divertida para dar a volta no "Ring".
Fomos em pleno verão, no mês de julho, e só à noite precisamos de agasalhos bem leves porque a brisa é fresca. No período em que estivemos lá choveu muito pouco, e só chuvas leves e rápidas. Não subestime a quantidade de bermudas e camisetas leves, pois fez mais calor do que a gente imaginou! E a grande vantagem do verão é que absolutamente tudo é feito ao ar livre, todos os restaurantes têm mesas nas praças e calçadas, uma delícia! É claro que, se for no inverno - e Viena é um programão para as crianças um pouco antes do Natal! - vai precisar de todos os agasalhos que tiver e mais um pouco, pois o frio é muito grande!

Quanto ao dinheiro e ao idioma, você não terá problema nenhum em Viena se souber um pouco de inglês. A moeda é o euro, e, apesar do idioma ser o alemão, a grande maioria das pessoas fala inglês bastante bem e os menus dos restaurantes e sinalizações são, frequentemente, traduzidos para o inglês. A única dificuldade que encontramos foi lembrar nomes de ruas, lugares e restaurantes em alemão. Os austríacos são muito simpáticos e prestativos, e estão sempre dispostos a ajudar e dar uma informação quando necessário.

Passeios da nossa família

Como de costume, nossos passeios foram escolhidos a dedo, não baseados em listas das "10 melhores atrações de Viena", e sim numa conjunção de lugares imperdíveis e atrações que interessariam à nossa família - e que talvez não interessem a todas! Dividimos os passeios entre aqueles que se pode fazer a pé, caminhando pelo centro, e os que ficam fora do "Ring", portanto precisam de metrô ou ônibus para serem acessados.

No centro:

1. Catedral St. Stephan ****: é o epicentro das atrações e o coração pulsante de Viena, pelo menos do ponto de vista turístico. A catedral em si é magnífica, uma igreja gótica majestosa e repleta de obras de arte por dentro. Do lado de fora, a Stephansplatz é uma praça somente de pedestres, que vive cheia de turistas boquiabertos olhando para cima, para as torres da igreja, dia e noite. Obviamente é um lugar onde se deve ter cuidado com furtos e evitar parar para ouvir as ofertas "armadilhas de turista" que muitos ficam oferecendo na entrada da igreja. Vale muito a pena pagar uma pequena taxa para ter acesso à torre e à vista de Viena lá de cima. Mas também é preciso ter pernas, pois a subida é a pé, por uma escada em caracol estreita e escura. A vista é sensacional.




2. Passeios de carruagem ****: aproveite que está pertinho do ponto de encontro das carruagens e comece a entrar no espírito de contos de fada! Um passeio desses vai fazer você se sentir no século XIX, e elas ficam estacionadas bem ao lado da igreja. Você pode escolher entre um trajeto mais curto ou mais longo, mas todos passam somente por ruas do centro antigo da cidade, onde você verá o Palácio de Hofburg, monumentos, museus, praças e igrejas. O passeio é caro, mas a experiência é única. E depois, durante suas andanças a pé pelo centro, você se sentirá transportado para outra era quando ouvir o clip clop dos cavalos passando pelas ruas de paralelepípedo.


3. Haus der Musik (Museu da Música) ***: esse museu é de particular interesse para quem gosta de música clássica e tem familiaridade com os compositores que viveram em Viena. Há salas separadas com objetos e um pouco da história e da música de cada um. A parte musical do museu é interessante, mas não chega nem aos pés do museu da música de Paris. As exposições são bem interativas e algumas high tech, como por exemplo a sala em que você controla sons e imagens abstratas ao mesmo tempo com movimentos do corpo, ou então uma tela interativa para você reger sua própria orquestra. Mas poderíamos dizer que o foco aqui são os sons, não a música propriamente dita. No final de tudo, há uma loja bem grande e com coisas interessantes para presentear os amantes da música que ficaram em casa. Enquanto estiver em Viena, consulte o site da Haus der Musik para ver se há algum concerto gratuito, que normalmente acontecem no átrio bem na entrada do museu.



O bom humor não fica de fora. Se você reger mal a orquestra, um dos músicos bem bravo vai te dar uma bela bronca de dentro da telinha!


4. Mozarthaus Viena *****: de todos os compositores que viveram ou nasceram em Viena, sem dúvida Mozart foi o que deixou as marcas mais profundas. A casa em que ele morou por um tempo, bem no centro da cidade, foi transformada em um museu muito simpático e agradável. Uma reconstituição do que teria sido o apartamento onde o compositor viveu pode ser visitada, e é fácil imaginar Mozart caminhando pelos cômodos desse lindo apartamento antigo. Além de cômodos mobiliados como se Mozart ainda vivesse lá, há mostras sobre a história da vida do compositor, trechos de suas composições ecoando pelas salas, manuscritos, e até um teatrinho virtual que mostra um trecho da famosa ópera Flauta Mágica. Na Mozarthaus, assim como em muitas outras atrações de Viena, é proibido tirar fotos. Realmente uma pena! Em nossa opinião, hoje em dia uma proibição dessas é de uma miopia sem igual, pois impede que compartilhemos nossa experiência e deixemos você morrendo de vontade de conhecer o museu...

5. Ópera de Viena *****: além de um teatro majestoso e imponente, bonito por dentro e por fora, você terá a oportunidade de conhecer lugares fora do alcance do público: as salas privadas onde se fazem eventos elegantes ou onde os grandes chefes de estado podem ficar no intervalo das óperas, e o backstage desta que é uma das maiores óperas do mundo. A quantidade de óperas encenadas por ano - cerca de 200 - e a quantidade de óperas em cartaz ao mesmo tempo são impressionantes. Tudo graças à estrutura atrás do palco, que pode armazenar e facilmente colocar em uso vários cenários grandiosos para diferentes espetáculos. Se quiser assistir a uma ópera sendo encenada, evite os meses de julho e agosto, em que não há espetáculos por ser época de férias.

O backstage da ópera, que pode armazenar vários cenários simultaneamente.


6. Outras igrejas no centro da cidade ****: pegue um guia da cidade de Viena e leia as descrições das inúmeras igrejas que existem no centro, e escolha pelo menos umas duas ou três para visitar. Mesmo se não for deliberadamente procurar as igrejas, sem dúvida nenhuma elas estarão no seu caminho. Não deixe de entrar para dar uma espiadinha! Visitamos igrejas como a de São Pedro, onde assistimos até a uma missa em alemão, e de São Francisco. Cada uma é uma joia, diferente e com suas belezas particulares. Vale a pena!

7. Musikverein *****: é considerada uma das melhores salas de concerto da Europa, com um interior suntuoso e muito bonito, e acústica (dizem) perfeita. Se puder conhecer o Musikverein durante um concerto, melhor ainda! Na época em que fomos (julho), todas as orquestras estavam de férias, então não tivemos outra opção se não assistir à orquestra Mozart, que é voltada para os turistas e é a única que continua fazendo concertos durante o mês de julho. A orquestra toca em todas as melhores salas de Viena, e nós escolhemos assistir ao nosso concerto no Musikverein. A orquestra superou bastante a nossa expectativa! Apesar de estarem vestidos com roupas "de época" meio fake, as execuções dos trechos de concertos e óperas selecionados para a apresentação foram corretas e não houve falhas. Por ser um concerto feito para turistas, esperávamos muito menos. E ainda tem a grande vantagem de o repertório ser composto por trechos famosos de grandes obras de Mozart, Beethoven e Strauss, o que faz a digestão do concerto ser bem fácil até por quem não conhece música clássica, ao mesmo tempo em que não desagrada a quem gosta do gênero.

8. Hofburg *****: o palácio de Hofburg e os museus que compõem esse enorme complexo são um capítulo à parte. Fica localizado bem no coração da cidade, e inclui o próprio palácio de onde os Habsburgos reinaram sobre boa parte da Europa durante quase 700 anos, os Kaiserapartments. Inclui também museus fascinantes, com a coleção de louças e utensílios da família real, outro sobre a vida da mais famosa integrante dessa família, a princesa Sissi, e, o mais impressionante de todos, o museu das joias da Coroa, com preciosidades e tesouros de fazer cair o queixo.
A coleção de prataria e louças está à mostra no museu do Kaiserapartments.
O museu da Sissi e o Kaiserapartments são absolutamente imperdíveis para as meninas que tenham interesse em conhecer a vida das princesas de verdade. Desde a história da vida da princesa e seus vestidos, quarto, aposentos, até os aparelhos de ginástica que ela usava estão à mostra. Os aposentos são lindos, ricamente decorados e mobiliados. Infelizmente, não é permitido tirar fotos dessa parte do museu.

Já o museu das joias da Coroa tem desde objetos religiosos, relicários, altares, até coroas de verdade, cetros, orbes, mantos e pedras preciosas como uma esmeralda de 2680 quilates.


Na antiga estufa dos jardins do Hofburg hoje funciona um restaurante, bem agradável para um almoço ao ar livre, uma boa pedida para se sentar e descansar no meio do seu passeio por tantas salas e museus diferentes.

9. Rathausplatz ****: a grande praça que fica em frente à prefeitura de Viena é o espaço onde, durante boa parte do ano, acontecem eventos especiais, como o mercado natalino em dezembro, ou o festival de filmes ao ar livre no verão. Para chegar lá um jeito bem divertido é pegar o bonde que circunda o Ring, e você poderá descer bem em frente. Durante o festival de cinema acontece também o festival gastronômico. São inúmeras barracas ao ar livre vendendo todo tipo de comidinhas diferentes, desde a onipresente milanesa até especialidades orientais, e também barracas com bebidas e até vinhos. Chegue um pouco cedo e aproveite o festival gastronômico, antes de pegar um bom lugar para ver o filme.



Dentro e próximo do centro há também alguns museus bem interessantes, como o Albertina (no complexo do Hofburg) e os museus do Museums Quartier. Nesta nossa primeira viagem a Viena, nossa prioridade era visitar as atrações imperiais da cidade, então acabamos não conhecendo nenhum desses museus, mas fica a dica para quem gosta!

Por falar em museu, um que pareceu muito interessante foi o museu do pintor Gustav Klimt, localizado no palácio do Belvedere, bem pertinho do centro. O palácio em si, com seus jardins e a vista privilegiada, já deve ser uma bela atração, e com as obras de Klimt para complementar é imperdível para quem gosta de arte moderna. O lugar já está na nossa lista para a próxima vez em que estivermos em Viena!

Fora do centro

1. Palácio de Schönbrunn *****: sem dúvida alguma a principal atração de Viena, lado a lado com o Hofburg, é o Palácio de Schönbrunn. É sempre comparado a Versailles, com a diferença de que fica dentro da cidade, com acesso muito mais fácil e, vantagem suprema para quem tem filhos, tem seu próprio zoológico! Para as famílias com crianças pequenas é um dos melhores programas da cidade, pois, além do zoológico, o palácio tem amplos jardins, muito bonitos e bem cuidados. O zoo foi originalmente criado pela família real para terem uma distração, e agora é aberto ao público. A grande atração do zoológico são os ursos pandas, mas há muitos outros animais e até um restaurante bem gostoso.






Outro lugar delicioso para passar uma hora é a área dos labirintos do palácio. São labirintos de verdade, feitos de topiarias, como aqueles que você vê nos filmes que se passam na época do Renascimento. Alguns têm saídas bem difíceis de encontrar, então não deixe seus filhos pequenos entrarem sozinhos. Diversão certa para toda a família!



2. Prater park ****: esse é um dos mais antigos parques de diversão da Europa. Não se trata de um único parque, e sim de um espaço onde cada brinquedo é operado por um dono ou empresa diferente. Assim, há uma grande variação de qualidade, idade e conservação dos brinquedos, bem como atrações muito semelhantes entre si. A vantagem é que você pode escolher em quais quer andar, e pagar por cada um individualmente.



Praterturm

O parque serviu de inspiração para muitos parques temáticos ao redor do mundo, mas entrar por seu pórtico ouvindo o Danúbio Azul ecoar nos alto-falantes é uma experiência única! Dá para ficar um dia inteiro aqui se divertindo. As crianças maiorzinhas e os adultos podem se divertir nas montanhas-russas ou na Praterturm (um tipo de chapéu mexicano, que sobe a 117 metros de altura com vistas e giros estonteantes), enquanto a roda-gigante e o museu de cera Madame Tussaud´s garantem a diversão para toda a família. Um dos brinquedos mais curiosos para nós foi, sem dúvida, um carrossel puxado por pôneis de verdade! As crianças pequenas vão a-do-rar.


Na hora em que bater aquela fome, tem também muitas barracas e trailers com comidas de vários tipos. Nós escolhemos o hot dog que, além de combinar com um dia no parque, em Viena tem um gostinho especial por causa da qualidade das salsichas.

3. Aquário de Viena *** (Haus des Meeres): bem, se você conhece e acompanha um pouquinho nossa família aqui no blog, sabe que não podemos passar perto de um aquário remotamente interessante sem entrar e conhecer, pois nosso filho é fanático por criaturas marinhas. Em Viena não foi diferente! O aquário é mais interessante pelo prédio que o abriga, do que pelas exposições propriamente ditas. É um aquário bem vertical, que foi construído dentro de uma estrutura que abrigava as baterias antiaéreas na época da Segunda Guerra Mundial. A construção é tão robusta que os austríacos não conseguiram demoli-la! Os animais e peixes são interessantes, variados, mas se você já visitou aquários maiores em outras cidades pelo mundo, é um programa dispensável. A não ser, é claro, que você tenha em casa um amante dos animais como nós!



Schnitzel & Frankfurters

No começo, quando pensamos em ir à Áustria, ficamos um pouco receosos quanto à comida que encontraríamos lá, especialmente para crianças que não comem de tudo. Mas, ao contrário do que esperávamos, a maioria dos restaurantes localizados no centro e nas zonas turísticas serve muitas opções bem palatáveis para as crianças brasileiras, como massas e bife, sem deixar de lado as opções mais germânicas.

No entanto, uma viagem a Viena não é completa sem experimentar pelo menos uma vez a famosa milanesa vienense, o schnitzel. Originalmente feito de vitela, pode também ser encontrado o lombo de porco à milanesa, quase sempre acompanhado de fritas. Nos restaurantes bem turísticos, nem se incomode em pedir a vitela, pois é mais caro e geralmente eles servirão a carne de porco mesmo. Qualquer uma das duas versões é muito gostosa, principalmente para as crianças!

Outra presença constante nos passeios em Viena é o hot dog. Não é à toa que em alguns lugares se chama a salsicha mais premium de vienense! O hot dog de Viena é muito bom justamente por causa da salsicha, que é bem consistente e saborosa, não aquele tipo vermelho e molenga que encontramos nas barraquinhas aqui no Brasil!

A maioria dos restaurantes que se localizam no centro têm qualidade e menu bem semelhantes. São um pouco mais caros e voltados para turistas, mas inevitáveis para quem se hospeda por aqui. O Zanoni, localizado na esquina das ruas Rotenturmstrasse e Lugeck, é uma exceção. Além de sorvetes e bebidas geladas deliciosas, fica aberto 24 horas por dia com sanduíches e pratos rápidos bem em conta.

Um restaurante que estava sempre cheio, e que por isso não tivemos oportunidade de experimentar, é o Zum Figlmuller, especializado em... adivinhe: schnitzel! Se tiver curiosidade, faça uma reserva antes de sair de casa, e depois não se esqueça de deixar sua opinião nos comentários desta postagem!

Outro restaurante bem diferente que fomos foi o restaurante do próprio hotel Hollmann, o Hollmann-salon. É um espaço bem diferente e bonito, com comida igualmente diferente. Na semana em que estivemos lá, estavam com um menu de verão repleto de frescor e acidez, mas pelo que pudemos notar os pratos mudam constantemente.



Na hora da sobremesa, ou do café, Viena é imbatível na qualidade de seus doces. A confeitaria Aida tem unidades espalhadas por toda a cidade, e é parada certa para um doce a qualquer hora. E é no hotel Sacher, na Kartnerstrasse, bem pertinho da Ópera, que é servida a torta de chocolate com damasco conhecida no mundo inteiro.



Como você pode ver, Viena é fascinante, um lugar onde você e as crianças se sentirão muito bem vindos. A cidade tem atrações para todos os gostos, desde palácios e museus cheios de luxo, até ursos panda e rodas gigantes para pimpolho nenhum botar defeito!

2 comentários:

  1. Olá Famiília, excelente o blog de vocês, já li diversas dicas sobre Viena, mas, a de vcs realmente está muito boa!!!
    estaremos indo para Viena em junho e gostaríamos de hospedar justamente em um hotel que não seja muito caro mas também que não seja longe das atrações turísticas..., enfim, qual o nome do hotel que vcs ficaram? vcs indicam para um casal? grato,
    Isaac

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isaac, como você pode ver no topo da postagem, ficamos no Hollmann Belletage. Super indicado para casais! Um hotel moderninho, aconchegante e muito bem localizado.
      Boa viagem!

      Excluir

Mande seus comentários, perguntas ou mais dicas sobre este destino.