domingo, 15 de agosto de 2010

PARIS TAMBÉM TEM DISNEY?

Nossa viagem foi assim:

Época: Janeiro **; Julho *****
Hotel: Louvre Montana ***; Best Western Opera ****; New York (Disney) *****
Faixa etária das crianças: 5-7 anos ****; 7-9 anos *****
Uma família amiga nossa foi para Paris passar uns dias, com os filhos de 11 e 6 anos de idade, mas como tinham ido à Disney de Orlando recentemente, decidiram "passar" a Disney de Paris e ficar só na cidade. No último dia de viagem, encontraram um conhecido na rua e ficaram conversando sobre sua estada em Paris, até que a pessoa vira para o filho mais novo e pergunta: "e você, gostou da Disney de Paris?" O menino fuzila os pais com os olhos, e diz: "em Paris TEM DISNEY?" Hoje os pais já foram perdoados pelo erro fatal, mas não cometa você o mesmo erro! Quando for a Paris com crianças não deixe de visitar a Disney.

Quando as pessoas pensam em lugares para levar as crianças, Paris só sobe na lista de prioridades quando elas já têm 10 ou 12 anos. Pensamos: como vamos ficar arrastando essas crianças pequenas pela imensidão do Louvre, impedir que elas coloquem a mão no xixi enquanto estivermos andando no metrô, fazer com que se comportem nos restaurantes diante daqueles garçons mal-humorados? Como? Nós fomos a Paris e fizemos vários programas, alguns bem diferentes, e com isso descobrimos que a cidade pode ser um lugar muito legal para as crianças. Há muito mais para se ver em Paris do que o Louvre!

Antes de seguir com nossas dicas de programas, avisamos aos navegantes: só levem as crianças a Paris no verão. Mesmo assim, não esqueça de colocar na mala uns dois agasalhos e calças, pois lá pode fazer até um friozinho mesmo no verão, e um baita friozão no inverno! Raramente chega a nevar, mas o tempo fica meio fechado e ranzinza, o que atrapalha bastante os passeios, pois em Paris se anda muito na rua.

Castelo da Bela Adormecida
1. Disneland Resort Paris (DLRP) *****: Paris tem muitos motivos para se levar as crianças, mas sem dúvida a Disney é o melhor deles. A maioria das pessoas conhece somente o parque principal (Disneyland, que tem o castelo cor-de-rosa da Bela Adormecida), mas na verdade a Disney de Paris possui mais um parque (Walt Disney Studios, semelhante ao Hollywood Studios de Orlando), e o Disney Village (com lojas e restaurantes). Há duas opções para quem quer visitar: ir e voltar no mesmo dia, de trem ou excursão (fácil, fácil), ou ficar no complexo por uma ou duas noites. Apesar de a Disney e os agentes tentarem nos convencer do contrário, se fizer uma visita de um dia, só conseguirá ver um dos dois parques, e a maioria das pessoas opta pelo Disneyland Park. Se ficar duas noites, poderá visitar ambos os parques com tranquilidade. Ir de um parque ao outro no mesmo dia não compensa porque você deixará de ver muitas atrações.

Para quem vai e volta no mesmo dia, basta pegar o trem em qualquer estação RER dentro de Paris. Atenção, pois RER é diferente de metrô, apesar de serem interligados. Se você estiver hospedado longe das RER, a integração com o metrô é bem fácil. Pegue o trem na direção Marne-la-Vallée, e desça na última estação. Você estará em frente aos portões de ambos os parques e no começo do Disney Village. A caminhada a qualquer lugar não leva mais do que 10 minutos. Detalhes em http://parisbytrain.com/rer-train-paris-to-euro-disney.

Big Thunder Mountain
Se você optar por ficar no complexo, basta entrar na internet (http://www.disneylandparis.com/) e fazer a reserva. Os melhores hotéis são o New York (basta atravessar o Disney Village e você estará na entrada dos parques, pertinho da estação de trem), e o Disneyland Hotel (neste você estará hospedado literalmente dentro do Disneyland Park, um verdadeiro sonho para as crianças, mas com um preço bem mais salgado). Se preferir uma opção mais econômica, tem outros hotéis, mas neles você vai depender do transporte interno, e este não sabemos como funciona. Daí poderá visitar cada parque em um dia, com calma, e visitar o Village (não deixe de comer no Rainforest Cafe, que, além dos bonecos de animais que se mexem, tem uma comida melhor que o Rainforest dos EUA).

Atualização outubro de 2017: agora há um leque muito maior de hotéis na Disney de Paris, 7 hotéis próprios e outros parceiros, conforme nos foi apresentado pela empresa num evento ocorrido em São Paulo. Para ver todas as opções, disponibilidade e preços, acesse o site da Disney (www.disneylandparis.com). Ficando hospedado nos hotéis da Disney, você conta com horas extras de parque. Ficando nos parceiros, somente transporte até os parques (geralmente com hora marcada).

2. Passeios de barco pelo Sena ****: existem diversos passeios de barco no famoso rio, estilo Bateaux-Mouches, todos muito interessantes durante o verão. Se for escolher um desses, a decisão pode ser tomada avaliando somente o local de partida (se for muito longe do seu hotel não vale a pena) e o preço, pois são todos muito parecidos. Ao longo do Sena, há inúmeros locais de embarque para esses passeios: próximo ao Museu D´Orsay, logo abaixo da Torre Eiffel, próximo à Champs-Elisées... Cada um é administrado por uma empresa diferente, inclusive uma chamada... Bateaux-Mouches! Se possível, evite o próprio Bateaux-Mouches à noite, pois o barco lança fortes luzes no entorno de sua passagem, estragando um pouco o clima do passeio. As outras companhias não têm as tais luzes, então pode ir sem problemas. Basta chegar à cabine de venda de ingressos, comprar o seu, e esperar o próximo barco.

No inverno, só vá nos passeios se for um barco fechado. O Batobus é um desses, que oferece uma ótima visibilidade, pois até o teto é de vidro. A desvantagem (ou para alguns, vantagem...) é que não tem comentários em áudio sobre os locais que estão passando na janela. A vantagem é que o Batobus faz várias paradas ao longo do caminho, e os passageiros sobem e descem quantas vezes quiserem no mesmo dia. Então você pode unir o passeio de barco a um bom meio de transporte para visitar os locais próximos ao Sena (Torre Eiffel, Museu D´Orsay, Louvre, Notre Dame). A entrada do Batobus é comprada a bordo do próprio barco.
Barco dentro da eclusa

3. Passeio de barco pelos canais de Paris *****: diferente dos passeios pelo Sena, o passeio pelos canais de Paris não passa pelos principais pontos turísticos. O passeio que fizemos (Paris Canal) partia da frente do Museu D´Orsay e subia em direção ao Parc La Villette, numa lenta viagem de duas horas subindo pelo Canal St Martin. No caminho, passamos por várias eclusas, pontes móveis, passagens subterrâneas (seus filhos vão se lembrar de Ratatouille, apesar de não termos
Tocando clarineta dentro da
passagem subterrânea
visto nenhum Rémy!) e pudemos ver uma vizinhança de Paris diferente, preguiçosa e alternativa.
O que mais vai agradar às crianças com certeza são as eclusas, pois a cada passagem os portões se fecham e o compartimento onde está o barco é inundado de água. Dentro da passagem subterrânea, um dos tripulantes toda um pouco de clarineta para "sentirmos" a acústica do local. O ponto de chegada do barco é o Parc La Villette, que também vale uma visita mais demorada.

Você deve fazer a reserva antecipada pela internet, pois o barco tem lugares limitados e faz só 1 viagem por dia. Mais detalhes nos sites http://www.pariscanal.com/ e http://www.canauxrama.com/.

La Géode: filmes sobre ciências
em IMAX e 3D.
4. Parc La Villette ***, Museu de Ciências **** e Museu da Música *****: nossa chegada ao parque foi através do Paris Canal, mas se você preferir um transporte mais rápido, também há uma estação de metrô no local. O parque em si não tem muito interesse. Tem poucas áreas verdes, pois foi construído num estilo moderno (parece um mini Memorial da América Latina). Tem um playground bem diferente onde as crianças podem gastar um pouco de energia. No entanto, ele abriga dois museus muito interessantes. No Cité des Sciences, o prédio em si já é uma atração. Além disso, pode-se visitar as exposições ligadas a temas científicos (espaço, som, etc), bem como uma área à parte dedicada exclusivamente às crianças. No La Géode, uma enorme esfera prateada, são projetados filmes ligados à ciência em IMAX e 3D.
O museu que nossa família mais gostou, no entanto, foi o Cité de La Musique. Nunca tínhamos ido a um museu de música, e este não deixou nada a desejar. O audioguia é incluído no ingresso, e a exposição é muito bem organizada, mostrando desde instrumentos antigos que não se usam mais, até coleções inteiras de oboés, harpas, cravos, passando por música eletrônica e instrumentos do mundo todo (asiáticos, indígenas, etc). O visitante vai ouvindo no audioguia o som de cada instrumento, e como eles são unidos e combinados para formar uma orquestra. É uma viagem pelo mundo da música e uma experiência incrível, até mesmo para quem não gosta muito do tema.

5. Museu D´Orsay ****: para os adultos é simplesmente imperdível. Em nossa opinião é um passeio até melhor do que o Louvre por ser menor e conter obras mais modernas, principalmente impressionistas. Para as crianças é um museu muito mais compacto, de arquitetura mais moderna e leve, e é bem provável que elas vão lembrar de algumas das obras por tê-las visto em revistas ou na escola. Se não quiser ver cada obra e cada canto do museu, meio dia será suficiente para passar pelas áreas mais importantes. Dica: se seu interesse é pelas obras impressionistas, vá direto para o último piso, onde elas estão, comece seu passeio por lá e vá descendo. Assim, quando as crianças ficarem cansadas, vocês podem descer para o grande átrio, sentar nos bancos apreciando as esculturas, e depois do descanso ir direto para a saída. Não deixe de olhar os grandes relógios da fachada, pelo lado de dentro do museu. Eles são visíveis através do café localizado no último piso.

Jardins do Museu Rodin.
6. Outros museus: o Louvre *** é muito grande e sua coleção cobre desde a Antiguidade até o século XVIII. É claro que todos os visitantes vão querer ver a Mona Lisa, a Vitória de Samotrácia e a Vênus de Milo. Além dessas obras, para as crianças, podem ser interessantes a ala de antiguidades egípcias, o jardim de esculturas e a pirâmide de vidro. Se grandes quadros de Monet são seu interesse, o museu de L´Orangerie, pertinho do Louvre, tem. Nunca visitamos esse museu, mas é uma alternativa menor e bem interessante ao D´Orsay, e atrativo para as crianças por apresentar quadros bem grandes e coloridos. O museu Rodin **** também é interssante tanto para adultos que gostam do artista, quanto para crianças, pois a característica tridimensional das esculturas atrai bastante os pequenos. O museu é bem compacto e fica numa casa, com um belo jardim repleto de esculturas onde se pode caminhar e espairecer.

Uma dica interessante, se você quiser visitar vários museus, é usar o Paris Museum Pass (http://www.parismuseumpass.com/). Você compra o passe de acordo com a quantidade de dias pelos quais quer estender suas visitas, e pode frequentar livremente os museus e igrejas participantes durante aquele período. Muitas atrações citadas aqui (D´Orsay, Rodin, L´Orangerie, Louvre, Notre Dame, Sainte-Chapelle) estão incluídas no passe, e mais dezenas de outras opções.

Uma das grandes vantagens de usar esse passe, especialmente com crianças, é que você não fica naquela "obrigação" de ver o museu inteiro, de uma vez só, apenas porque pagou a entrada. Em nosso caso, reservamos nossa visita ao Louvre para a parte da noite, e ficamos apenas 1 hora somente no setor do Egito Antigo, pois não desembolsamos nenhum centavo a mais por isso. Se, por exemplo, você estiver no meio da visita e seu filho pequeno começar a ter um ataque de nervos, pode sair do museu tranquilamente e deixar para continuar o passeio no dia seguinte. Em resumo: um grau de flexibilidade que você não terá, se comprar as entradas dos museus separadamente.

A outra grande vantagem, mas essa todo mundo já sabe, é que não precisará enfrentar filas a cada museu que for visitar. As filas em Paris podem ser realmente grandes nos dias de pico, e você poderá escapar delas com o passe. Só não conseguirá escapar das filas de segurança, que são especialmente longas na Sainte Chapelle e na Notre Dame (descritas mais abaixo).

7. Parque de diversões das Tuilleries *****: depois da Disney, com certeza esse parque será a atração preferida das crianças. O parque é montado bem em frente ao Louvre, no Jardin des Tuilleries, durante o mês de julho, e é um misto de quermesse do interior com Playcenter low-tech. Tem desde jogos de acertar alvos (os prêmios geralmente são pelúcias de personagens falsificadas...) até atrações radicais como o Rainbow (parecido com um brinquedo que tem lá no Playcenter chamado Double Shock). Cada atração é paga individualmente, e nada sai por menos de 4 Euros. Não é barato, mas a experiência de subir numa roda-gigante e avistar lá de cima o Louvre à sua esquerda, a Torre Eiffel à sua frente, e o Arco do Triunfo à direita não tem preço. Além disso, há diversas barracas de comidas como crepes e churros, mas sempre com o padrão francês de higiene e limpeza, portanto feche os olhos antes de comer!

8. Torre Eiffel ****: a famosa torre é visita obrigatória de todo mundo que visita Paris. Por isso mesmo, apesar de linda e divertida (o elevador é uma coisa do outro século, literalmente), está sempre lotadíssima de gente, e a ineficiência do pessoal das bilheterias e portarias não ajuda em nada. Portanto, se você for visitar a torre, arme-se de uma boa dose de paciência. A outra opção (só para quem está com a conta bancária em dia) é fazer uma reserva em um dos dois restaurantes que funcionam lá em cima, o Jules Verne (mais chique e caro) ou o Altitud 95 (menos caro, mas também mal avaliado pelos internautas no quesito atendimento). Com a reserva, você tem direito a subir por um elevador separado, sem fila. Se optar por ver a torre só de baixo, faça-o à noite. A iluminação em si já é espetacular, e a cada hora cheia, milhares de estrobos espalhados pela torre piscam durante 10 minutos, tornando-a ainda mais "fashion".
Sainte-Chapelle

9. Passear a pé pelas ilhas do Sena ****: nem todas as crianças gostam de ficar numa fila para visitar igrejas, mas se seus filhos tiverem um pouco de paciência, essa caminhada vale a pena. Dá para chegar às ilhas atravessando uma ponte bem próximo ao Louvre, e daí o passeio todo pode seguir a pé, atravessando as pontes de ilha em ilha. A fila na Sainte-Chapelle é enorme e anda devagar, mas lá dentro você será recompensado pelos mais lindos e coloridos vitrais. A Notre Dame dispensa explicações, é maravilhosa por fora e por dentro. Se tiver paciência para enfrentar a fila, suba nas torres para as crianças darem uma olhada nas gárgulas bem de perto. É pouco provável que seus filhos tenham visto O Corcunda de Notre Dame, mas se tiverem, vão se lembrar do filme.
Termine o passeio atravessando para a Ile St Louis, onde há diversas lojinhas simpáticas, e é lá que fica a primeira loja da famosa sorveteria Berthillon. Atualmente esse sorvete está disponível por toda Paris, mas tomá-lo na Ile St Louis, à beira do rio Sena, vai fazer seu filho se lembrar de Ratatouille e é um daqueles momentos que só em Paris você conseguirá vivenciar!


5 comentários:

  1. Olá família....gostaria de uma dica de hotel em Paris....que região seria melhor ficar? Desde já agradeço! Lucia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucia,

      Paris é uma cidade encantadora com centenas de hotéis e pelo menos 3 ou 4 bairros diferentes onde você estará muito bem instalada... Tudo depende dos seus objetivos e do seu estilo quando visitar a cidade.

      No nosso caso, ao visitar Paris em família no verão, optamos por nos hospedar no 1er arrondissement, pertinho do Louvre, do Sena, etc. É uma opção meio cara e menos charmosa que outros bairros, mas como estava perto da maioria das atrações que queríamos visitar, pudemos ir andando a todos os lugares. Os 2 hotéis que já ficamos por ali foram o Louvre Montana e o Best Western Opera.

      Quando fomos a trabalho, para ver os grandes magazines, ficamos próximos do Blvd Haussmann, no Londres & New York. Nenhum desses hotéis se destacou particularmente, são todos pequenos e charmosos, sem nenhum luxo. Mas em Paris são todos caros; se você vir um hotel barato, saiba que provavelmente fica um pouco longe de tudo, ou até mesmo fora do centro turístico de Paris, ou então que se trata de um pulgueiro...

      Os bairros da cidade são numerados do centro para a periferia, portanto é importante você escolher um hotel com CEP que termine entre 01 e 10, assim estará numa localização mais central. As melhores opções são 1, 4, 5 ou 6 (mais turísticas e/ou boêmias). O 8 ou 9 são bons para quem quer fazer compras (ficam perto da Champts Élysées e grandes magazines, respectivamente). O 7 é mais residencial e tranquilo, mas muito elegante.

      Como os hotéis são todos pequenos, a chance de você não encontrar vaga em um deles especificamente é grande, mas certamente encontrará no vizinho. Afinal, assim como esses 3 hotéis que indicamos, existem centenas de outros na cidade. Nas regiões mais turísticas há 2 ou 3 hotéis por quarteirão!

      O metrô de Paris é muito ramificado, então dificilmente você estará a mais de 10 minutos de caminhada de alguma estação.

      Sugerimos não se ater às nossas sugestões. Visite blogs especializados em Paris, como Conexão Paris e My Little Paris para escolher o melhor bairro para você. Um bom e velho guia de viagem de papel sobre a cidade também ajuda bastante! Quando tiver escolhido o bairro, não deixe de dar uma olhada no Trip Advisor para verificar as reclamações e elogios dos hotéis da região. Esse é o processo que sempre utilizamos para escolher nossos hotéis, e até hoje nunca nos metemos em roubadas quando fizemos a pesquisa direitinho!

      Depois da pesquisa prévia, se tiver mais alguma dúvida pode voltar aqui. Não somos grandes conhecedores de Paris, mas também sabemos que, se for sua primeira viagem, é um pouco desorientador e difícil escolher um lugar pra se hospedar lá, então qualquer ajuda já é válida.

      Esperamos ter ajudado!

      Excluir
  2. Muito obrigada....vocês são 10. Já estive 2 vezes em Paris mas há muito tempo...sempre leio o que vcs escrevem ...adoro e recomendo sempre! obrigada mais uma vez. Lucia e família

    ResponderExcluir
  3. Vocês foram no frio para Paris e até pegaram neve :) Como estamos programando uma viagem no início de fevereiro/15, que é melhor devido as férias das crianças, peço a gentileza de informar se o frio é suportável ou fica a ponto de não conseguir fazer os passeios. Não queria desperdiçar a tão sonhada viagem devido à temperatura. Agradeço se for possível nos dar umas dicas. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Simone,
      Não chegamos a pegar neve, mas já fomos a Paris no inverno e no verão, e temos que dizer que no verão é beeeem melhor. Se tiver opção, não vá no inverno. Além do frio, às vezes chove e não raramente é aquela chuvinha que dura o dia todo. Atrapalha muito porque em Paris se anda muito a pé. Se puder ir em julho, será bem mais proveitoso. Mesmo assim o tempo não é aquele calorão que estamos acostumados, é um verãozinho bem ameno, necessitando até de um agasalho leve.

      Excluir

Mande seus comentários, perguntas ou mais dicas sobre este destino.