segunda-feira, 19 de julho de 2010

O SONHO DE GAUDÍ - ARTE E ARQUITETURA EM BARCELONA

Nossa viagem foi assim:

Época: julho *****
Hotel: AC Diplomatic *****
Faixa etária das crianças: 7-9 anos *****



Em nosso primeiro dia em Barcelona estávamos almoçando num pequeno restaurante italiano bem ao lado da Sagrada Familia. Um casal entrou no restaurante, ambos carregando pesadas mochilas e com três crianças a tiracolo - uma menina de 3 anos e um par de gêmeos de não mais que 1 ano de idade num carrinho duplo. O restaurante estava quase cheio, mas eles de bom grado aceitaram sentar-se numa mesa de apenas 2 lugares. Colocaram uma cadeira extra e estacionaram o carrinho ao lado da mesa, acomodando-se como puderam. Pelos rostos corados e as câmeras penduradas no pescoço, podia-se adivinhar que eram turistas e tinham estado visitando a famosa igreja pela manhã. Sentaram-se esbaforidos à mesa, escolhendo o que comer, visivelmente cansados mas com aquele sorriso no rosto, de quem está vivendo um momento especial.


Não poderia ser diferente! Barcelona é a prova de que viagens "culturais" também podem agradar às crianças. É um ótimo lugar para a família fazer sua primeira viagem de gente grande, sem entediar os pequenos. Os programas culturais de Barcelona são diferentes de outras cidades, pois incluem visitas a edifícios e obras modernistas, cuja estética casa perfeitamente com o gosto da maioria das crianças. Além disso, Barcelona oferece programas não "culturais" como aquário, atividades ligadas ao mar (praia, passeios de barco), entre outras, que podem ser incluídas entre um museu e outro para deixar o programa mais leve e divertido.

Os lugares mais visitados de Barcelona e que são ponto de parada obrigatórios são os edifícios do arquiteto Antoní Gaudí. O estilo modernista busca inspiração na natureza, e as obras de Gaudí são o exemplo mais incrível desse estilo. A Sagrada Família, gigantesca igreja ainda em construção, parece um enorme castelo de areia, com seus beirais "derretendo" e escorrendo, suas fachadas cobertas de grupos esculturais de pessoas e animais, contando passagens da vida de Jesus. No dia que fomos à Sagrada Família, a fila estava maior na parte da manhã, quando chegamos, do que próximo ao meio-dia, quando saímos. Portanto, não se preocupe em chegar supercedo, pois a fila diminui ao longo do dia. Além disso, ela anda bem rápido. É preciso pagar uma taxa para entrar na igreja, e outra pelo audioguia. Ambas valem a pena, pois a igreja é linda e o guia dá boas informações sobre ela.

A Sagrada Família é só o exemplar mais conhecido das obras de Gaudí. Além dela, a Casa Batlló com suas cores mágicas e suas curvas, e a "fachada de sorvete" da Casa Milá também merecem uma visita. Ambas são muito próximas, e a visita a cada uma delas leva aproximadamente 1h e 30 min. Apesar de serem frequentemente comparadas, são muito diferentes uma da outra, e vale a pena visitar as duas - de preferência em dias diferentes para não cansar as crianças. A parte mais legal para elas é o terraço (de ambas as casas) onde chaminés, dutos de ventilação e caixas d'água assumem formas criativas e divertidas, inspiradas em dragões e cogumelos (Casa Batlló) ou pessoas e, para alguns, sorvete (Casa Milá).

A Casa Batlló começou neste verão (2010) um programa de visitas noturnas, cujo ingresso é mais caro, mas além da visita sob a luz realmente mágica do crepúsculo, ainda inclui um open bar com sucos, cava (vinho espumante) e música ao vivo. Ao contrário do que pode parecer, não é nem um pouco entediante para as crianças, pois a casa parece um cenário de histórias infantis, com sua decoração linda e curiosa. Além disso, a visita é feita caminhando-se pelos cômodos. Para tornar ainda mais interessante, alugue um audioguia e vá contando às crianças o que se fazia em cada cômodo da casa, para que servem as estruturas, etc. Os ingressos antecipados para a Casa Batlló podem ser comprados pela internet, no próprio site da casa.

Para entrar na outra casa, a Casa Millá (mais conhecida em Barcelona como La Pedrera), pode-se usar o Articket Barcelona. É um ingresso que dá direito a entrar em vários museus de Barcelona, então se você tem intenção de visitar pelo menos 3 desses locais, já compensa comprar o Articket. Entre os museus do Articket, nós estivemos no Museu Picasso e na Fundació Joan Miró (veja mais adiante). Ambos foram artistas catalães de grande fama internacional, e os dois museus são fantásticos.

A terceira casa de Gaudí que visitamos foi um capítulo à parte. Trata-se de um restaurante - muito gostoso por sinal - que funciona dentro da Casa Calvet. Esta casa também fica no mesmo bairro das outras duas. Com um endereço tão nobre, obviamente não é um restaurante barato. Mas almoçar ou jantar dentro daquele ambiente, sentindo-se transportado ao início do século XX, vale o que se paga. No nossso caso, era um aniversário da família, então aproveitamos para comemorar na Casa Calvet.

O serviço foi excelente, cortês e trouxeram até uma sobremesa com velinha para o aniversariante. A comida não é aquela enganação turística - pratos bem preparados e até criativos, apesar de um pouco caros. Por ser um restaurante mais fino, os pratos também não são enormes. Não recuse o pão e divida uma entrada para ajudar a "encher o tanque". A comida não é exatamente o ideal para crianças, mas se você procurar bem no menu, sempre há algo que, um pouco adaptado (sem o molho, trocando a guarnição), servirá para aplacar o apetite dos pequenos. Dizem que é estritamente necessário fazer reserva, mas no dia em que estivemos lá o restaurante não estava muito cheio.

O Museu Picasso fica no bairro gótico de Barcelona, bem no centro antigo e próximo à região costeira. Ocupa uma série de imóveis adjacentes, todos antigos prédios adaptados para receber a coleção. No acervo, pinturas e desenhos de Picasso desde o início de sua carreira, ordenados cronologicamente, dão a noção exata de como o talento e a técnica do pintor prevaleceram desde cedo, e como o gênio foi aparecendo em suas pinturas ao longo do tempo. Para as crianças a coleção é muito grande, composta predominantemente de quadros e desenhos pequenos, portanto vale a pena fazer um pequeno planejamento e localizar as pinturas mais interessantes, como a série de pombas ou os quadros e estudos baseados no As Meninas de Goya. Daí, procure restringir a visita a poucas obras, e tanto adultos quanto crianças poderão usufruir melhor do museu.

Já a Fundació Joan Miró fica na colina de Montjuic. Foi uma casa encomendada pelo próprio pintor a um arquiteto amigo seu, especialmente para abrigar suas obras. Portanto, um local arejado, iluminado e totalmente adaptado para isso. Se tiver tempo e as crianças tiverem paciência, vale a pena assistir o vídeo de 15 minutos que é projetado ininterruptamente numa sala no subsolo, que conta um pouco da história de Miró. Dá um sentido diferente à visita, pois os quadros passam a fazer parte de um contexto. Assim como o Picasso, esse museu inclui algumas das obras iniciais de Miró, dando uma boa idéia de como ele evoluiu de um pintor com influências impressionistas para o criador de uma estética nova e amplamente seguida no mundo todo. É bem fácil as crianças gostarem desse museu, pois há peças (tapeçarias, esculturas e pinturas) de grandes proporções, e as cores vivas, os temas, os traços simples e até singelos de Miró agradam em cheio aos pequenos.

Voltando a Gaudí, usando a rota azul do Bus Turístic, pode-se chegar facilmente ao Parc Guell e passar na frente dos portões dos Pavellons Guell. Ambos têm o mesmo nome porque foram encomendados a Gaudí por Eusebi Guell, um rico empresário do final do século XIX. Os portões dos Pavellons Guell eram a entrada de uma grande chácara do empresário. Além das guaritas ricamente ornamentadas, guardando os portões está um enorme dragão de ferro forjado, que todas as crianças vão adorar. Dentro dos portões não há nada interessante, mas vale a pena descer do ônibus no Palau Reial, e ir até os Pavellons para admirar o dragão por alguns minutos e tirar belas fotos.

No entanto, não resta dúvida que a obra de Gaudí preferida por todas as crianças (e a maioria dos adultos) é o Parc Guell. Inicialmente projetado para ser um condomínio de casas, o plano fracassou, e Eusebi Guell doou o terreno para a instalação de um parque. É lá que está a emblemática escultura/fonte do lagarto, uma das imagens mais populares da obra de Gaudí. Desça do Bus Turístic na parada do Parc Guell, e siga a multidão. Subindo uma pequena rua à direita, você chega em menos de 10 minutos ao parque (melhor do que ir de metrô, pois o acesso é mais difícil e você chega pela parte superior do parque, longe de onde está o lagarto).

Já do lado de fora dos muros estão mosaicos anunciando o parque. Na entrada, as guaritas parecem casas feitas de doce. Logo em seguida está a escadaria, com o famoso lagarto, e no topo da escadaria, um salão de colunas com o teto repleto de mandalas feitas de mosaico. Acima desse salão, ficam os também conhecidos bancos em curva, ao redor de um amplo pátio de areia. Essa é a parte principal do parque. Se estiver com vontade de explorar, procure as placas indicativas para chegar às três cruzes que marcam o ponto mais alto do lugar. De lá você terá uma vista incrível de Barcelona. Na parte alta também há bosques e um playground. Mais próximo da entrada, seguindo pelas trilhas à sua direita, você também pode visitar a casa onde morou Gaudí, e atualmente funciona como um museu das obras do arquiteto. Quando for visitar o Parc Guell, além de usar o Bus Turístic, procure ir bem cedo, pois por volta do meio-dia as multidões já terão tomado todos os espaços do parque. Por ser lindo e gratuito, o Parc Guell é uma das atrações mais visitadas de Barcelona.

Barcelona também oferece inúmeros programas não ligados à cultura, e esse é o assunto de uma outra postagem... (clique aqui para ler)

Sites: http://www.casabatllo.es/; http://www.articketbcn.org/; http://www.barcelonaturisme.com/; http://www.barcelonabusturistic.cat/

9 comentários:

  1. Tudo muito bem explicadinho e com dicas preciosas!!!! Muito bom vc se dispor a compartilhar.
    As fotos estão lindas!!! Ai que vontade de voltar....

    ResponderExcluir
  2. Li alguns posts e amei o blog: super bem escrito, divertido e com dicas muito boas. Que bom que além da sua família outras pessoas podem agora aproveitar todo esse conhecimento e capacidade de planejamento que você tem! =)

    ResponderExcluir
  3. Celi Oberding09 agosto, 2010

    Adorei Barcelona!!! Lendo tudo isso me deu uma saudade. Voltaria muitas vezes no Parc Guell. Muito bacana esse blog.

    ResponderExcluir
  4. Obrigados a todos pelos comentários! Se quiserem dar suas próprias dicas sobre Barcelona para que outras famílias se beneficiem, serão benvindas.

    ResponderExcluir
  5. Adorei muito os detalhes. Estamos programando uma viagem com os filhos para lá. Seria muito se pedisse para detalhar o roteiro dia-a-dia ou quantos dias ficaram por lá? Obrigada. Mônica.

    ResponderExcluir
  6. Desculpem se sair duplicado. Adorei as dicas e detalhes. Pensamos em ir para Barcelona com os filhos em abril. Quantos dias vocês ficaram lá? Um roteiro do dia-a-dia é muito difícil? Obrigada. Mônica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mônica,
      Já fazem alguns anos que estivemos em Barcelona, então não poderíamos fazer um roteiro detalhado mesmo que quiséssemos, por pura falta de memória. De qualquer jeito, não adiantaria nada, pois para elaborar um roteiro assim você precisa levar em consideração o dia da semana em que vão chegar e partir, pois há os dias de fechamento das atrações, dias para evitar determinadas atrações (como Parque Guell em fim-de-semana), etc.

      Ficamos cerca de 7 dias e foi mais que suficiente pra conhecer tudo com calma e sem atropelo. A maioria das atrações mencionadas pode ser visitada em meio dia, então você pode basicamente programar uns 2 passeios por dia.

      Até hoje nosso filho menciona essa como sendo uma das melhores viagens que já fizemos, então certamente seus filhos vão adorar!

      Se tiver perguntas específicas que quiser postar, tentaremos responder!

      Excluir
  7. muito obrigada. Já ficou bem mais fácil me programar. Uma pergunta: iremos num jogo do Barça. Tem necessidade de fazer a visita ao campo? Obrigada novamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A visita ao campo envolve visitar vestiários e até sentar nos bancos de reserva, então acreditamos que, mesmo indo ao estádio para ver um jogo, vale a pena voltar lá pra fazer a visita, se tiver tempo e gostar de futebol!

      Excluir

Mande seus comentários, perguntas ou mais dicas sobre este destino.